Artículos de: Enero, 2014

Odiario

“pacifista, herói…” e carniceiro

Robert Fisk*    31.Ene.14    Outros autores

A reescrita da história pessoal de Ariel Sharon não representou apenas um branqueamento dos crimes de guerra de que foi responsável. Representou uma manobra de branqueamento de todos os aliados e apoiantes do colonialismo sionista, responsáveis – eles também – pela tragédia do povo palestino e de todo o Médio Oriente

Odiario
Odiario

O “milagre económico” do governo e o descalabro real do país

Eugénio Rosa    29.Ene.14    Outros autores

O governo e os seus acólitos e propagandistas têm em curso uma colossal operação de propaganda anunciando resultados económicos de milagrosa recuperação. Mas todos os indicadores da economia real mostram o contrário: prossegue a queda da riqueza produzida, do consumo das famílias, do investimento, da procura interna. Aumenta de forma incomportável a dívida pública. A “descida” do desemprego significa apenas que mais centenas de milhares de trabalhadores são obrigados a emigrar. Aumentam a pobreza e a desigualdade. A única garantia de recuperação é correr com este governo e pôr fim a esta política.

Odiario
Odiario

Mentiras obscenas*

Jorge Cadima    27.Ene.14    Outros autores

Jorge CadimaA questão das armas químicas na Síria desenrola-se em episódios de folhetim: primeiro foi e é a duvidosa atribuição de responsabilidades no seu uso; agora é o processo do seu desarmamento, transporte e deposição, com igualmente duvidosas garantias de segurança.

Odiario
Odiario
Entrevista com Martin Scorcese

«Wall Street é o equivalente moderno da mafia»

François Forestier    26.Ene.14    Outros autores

Falando sobre o seu filme mais recente, Scorcese explica a equivalência que identifica entre os métodos do capital financeiro e os da mafia: ambos acumulam riqueza sem olhar a meios. Mas enquanto os gangsters são socialmente proscritos, os banqueiros são vistos como exemplo do estofo que é necessário “para vencer”.

Odiario
Odiario

As crianças-soldados dos EUA

Ann Jones*    25.Ene.14    Outros autores

O Congresso dos EUA aprovou no Outono de 2008 a Lei de Prevenção de Meninos Soldados com o objectivo de proteger crianças em todo o mundo de modo a não serem obrigadas a lutar na guerra dos grandes. Mas acontece que os Estados Unidos têm o maior e o mais eficiente sistema do mundo para recrutar crianças soldados. Com uma modéstia pouco característica, o Pentágono não utiliza essa descrição. Chama-lhe «programa de desenvolvimento da juventude».

Odiario