Artículos de: Enero, 2016

Odiario

Acordo para monitorizar o cessar-fogo na Colômbia

Com avanços e recuos ao longo de mais de três anos de conversações, as FARC-EP continuam a sua luta por uma paz com justiça e equidade sociais e democracia.
Publicamos hoje o comunicado em que as FARC-EP e o governo da Colômbia divulgam o mecanismo de monitorização do cessar-fogo.

Odiario
Odiario

Ano novo, crise nova

Jorge Cadima*    30.Ene.16    Outros autores

“Conscientes de que uma nova ronda de «austeridade» para os trabalhadores e povos e «maná do céu» para os multimilionários não é compatível com a democracia, as liberdades e a paz, sectores importantes da classe dominante preparam a via da repressão, do autoritarismo e da guerra. Para os trabalhadores e povos não há outra opção, senão preparar-se para o embate.”

Odiario
Odiario

Hillary Clinton:
Israel primeiro que tudo

Robert Fantina*    29.Ene.16    Outros autores

Em 2008, Hillary Clinton disputava a nomeação pelo Partido Democrático em clara vantagem sobre Barack Obama, de acordo com os media do império na época.
Hillary pode ser a mais perfeita imitação da Barbie, como disse James Petras numa das suas visitas a Lisboa, mas aprendeu, na altura, quanto vale o lobby judeu numa eleição para o mais alto cargo nos EUA, como prova este texto de Robert Fantina.
Então, Rahm Emanuel, filho de um sionista russo «membro das forças de Irgún de Begin» na limpeza étnica, e alegado «oficial do exército israelita» ou apenas «membro do Amal, o serviço secreto do exército israelita» trocou a meio campanha de Hillary, de que era o principal responsável, pela de tesoureiro da campanha de Obama. Como consequência desta transferência, Obama veio a consagrar-se candidato dos Democratas, depois de ter batido todos os recordes de recolha de fundos (a rainha das sondagens nos EUA…), alegadamente junto do lobby judeu norte-americano.
E Hillary teve de contentar-se com o lugar de secretária de Estado de Obama, que desempenhou, sem brilho e nem glória, durante 4 anos.

Odiario
Odiario

EUA ajudam o Estado Islâmico

Jorge Petinaud*    28.Ene.16    Outros autores

Apesar da campanha de desinformação, é cada vez mais evidente que o chamado Estado Islâmico é uma criação do capital imperialista acobertado pelo poder militar norte-americano.

Odiario
Odiario

O “esboço do OE 2016″ do governo PS

Eugénio Rosa*    27.Ene.16    Outros autores

O “Esboço de Orçamento de Estado para 2016 apresentado pelo Governo PS recorre à costumeira receita de classe neste «virar a página da austeridade»: aumenta os impostos indirectos, mesmo de bens essenciais em 1.432 milhões de euros (IVA, imposto de selo, imposto sobre os combustíveis, sobre o tabaco…), que recaem igualmente sobre todas as classes em função do consumo, e diminuem os impostos sobre “Impostos sobre o rendimento e património” (IRS, IRC, etc.), que recaem principalmente sobre as classes dominantes e os trabalhadores mais bem pagos.

Odiario
Odiario

O yuan e a sua conversão em moeda de reserva

“Para um leitor que leia os jornais anglo-saxónicos e desconhece quando e como abriu o mercado de Xangai, sobretudo as razões que o determinaram, não está claro se o que se está a passar é um colapso da economia do país ou uma guerra cambial em que a China decidiu enfraquecer o dólar”.

Odiario