Documentos

Comunicado do IV Congresso do Partido Comunista do México

Dias 20 e 21 de Novembro, integrado nas comemorações do centenário do início da Revolução Mexicana [1] realizou-se o IV Congresso do Partido dos Comunistas Mexicanos, com o objectivo de dar um novo passo organizativo que fará afinar os motores da luta pelo socialismo no nosso país.

O Congresso teve início depois de se ter concluído o processo de unidade entre o Partido dos Comunistas do México e o Comité de Luta pelo Movimento de Emancipação Nacional, COLMENA, onde ambas as partes expuseram as suas razões para dar este importante na unificação dos comunistas, dispostos a cumprir o compromisso histórico com o proletariado e o povo trabalhador da nossa pátria e do mundo.

Depois de numerosas intervenções de militantes, o Congresso discutiu a necessidade de dar um novo passo na constituição organizativa do partido que terá de representar e lutar pelos interesses do proletariado e guiá-lo na sua luta pela conquista do poder, pelo que se tornou necessário adoptar o nome que histórica e cientificamente representa a dita exigência, Partido Comunista do México. Isto, como forma de reivindicar com orgulho e dignidade a nossa tradição histórica de luta comunista, e de reafirmar que o nosso compromisso de luta pela emancipação dos trabalhadores é inquebrantável, afirmando sem peias nem timidez alguma que o nosso guia ideológico é o marxismo-leninismo, cuja compreensão, estudo e prática é a chave para superar efectivamente a exploração capitalista. Ao mesmo tempo, as contribuições dos militantes durante a discussão deram ênfase a que o mais difícil está para vir, e que este novo passo não resolve, só por si, a necessidade de construir a vanguarda do proletariado, pois ainda há muito para fazer até o alcançar, e ainda faltam muitos comunistas e revolucionários honestos e convictos para engrossar esta nova iniciativa.

No Congresso, com uma activa e entusiasta participação dos militantes, foram discutidos e aprovados os estatutos do partido, documento que servirá de guia organizativo para a difícil tarefa que temos pela frente.

Também se aprovou a resolução política em que se denuncia que a miséria e a deterioração das condições de vida dos trabalhadores mexicanos e de grande parte do povo têm como principal beneficiário um seleccionado grupo de capitalistas, nacionais e estrangeiros, que têm vindo a encher os seus bolsos com a degradação das condições de trabalho, a redução dos salários, o aumento da jornada de trabalho e a retirada de direitos historicamente conquistados pelo nosso povo. O inimigo de classe aproveita-se do Estado para reprimir indiscriminadamente todos os trabalhadores, camponeses e povos índios que resistem ferreamente nos embates com o capital, enfrentando com invulgar valor as forças repressivas, policiais e militares, que hoje agem para a manutenção de um estado de sítio permanente. A resolução também ressalta a importância da tradição comunista e do seu papel decisivo na luta pela emancipação de todo o povo e conclui, advertindo, que não há mediação possível na vigente luta de classes, nem há qualquer possibilidade nem esperança nos partidos políticos da burguesia, PRI, PAN, PRD, PT, Convergência, e que o nosso rumo é determinado e indeclinável para a Revolução Socialista.

O Congresso elegeu também os membros do Comité Central do partido e a Comissão de Controlo.

O primeiro Plenário do Comité Central elegeu para a Comissão Política os camaradas Marco V Vinicio Dávila, Xenia Hernández, Diego Torres, Julio Cota, Andrés Avila y Pável Blanco. Também elegeu o camarada Pável Blanco Cabrera como Primeiro Secretário do Comité Central e o camarada Andrés Avila Armella como Segundo Secretário do Comité Central.

Actualmente os militantes do partido estão a discutir as Teses do partido e o seu programa, que serão analisados na segunda etapa do nosso Congresso, nos próximos dias 29 e 30 de Janeiro de 2011. Esta será uma discussão fundamental para definir o rumo e precisar o nosso trabalho e identidade política, o que exige a maior seriedade e estudo por parte de todos os nossos militantes.

Este novo passo está dado. O que temos pela frente exigirá muito trabalho, sacrifício, um compromisso irrevogável com a classe operária e com todos os explorados e oprimidos do nosso país, que exigem, de forma dramática, uma transformação radical da nossa realidade; mas o nosso povo, sedento de justiça, terá em cada um de nós os seus homens e mulheres mais decididos para a fazer de vez a transformação, no rumo apontado por Marx, Engels e Lenine, onde não há outro caminho que o da luta comunista.

Viva o Partido Comunista de México!

Viva a lula comunista internacional!

Proletarios de todos los países, uní-vos!

Auditório 19 de Abril da Secção IX do SNTE-CNTE da Cidade de México, em 21 de Novembro de 2010.

N. do T.:
[1] Dia 20 de Novembro de 1910 foi a data do início da Revolução Mexicana.

Tradução de José Paulo Gascão

Gostaste do que leste?

Divulga o endereço deste texto e o de odiario.info entre os teus amigos e conhecidos