Nota dos Editores

Venezuela: A Revolução continua

Os Editores    15.Abr.13    Editores

Nicolás Maduro é o novo presidente constitucional da Republica Bolivariana da Venezuela.

A sua vitória foi muito mais apertada do que todas as sondagens previam. Obteve 7563 000 votos (50,75 %) contra 7298 000 de Henrique Radonski Capriles,o candidato da direita, mais 265 000 que o adversário. A participação, muito elevada, excedeu 79%.

A primeira reação de Capriles, quando Maduro lhe telefonou, foi propor um pacto de governo. Perante a negativa do presidente eleito, declarou não reconhecer como legitimo o resultado e exigiu uma recontagem dos votos emitidos, alegando a ocorrência de milhares de irregularidades
Mentiu. Segundo o Conselho Nacional Eleitoral, a eleição transcorreu em atmosfera de total normalidade. O ex-presidente dos EUA Jimmy Carter dissipou dúvidas ao afirmar que de 92 eleições que acompanhou como observador internacional, «o processo eleitoral venezuelano é o melhor de todos».

A campanha de Capriles – um multimilionário que Chávez havia derrotado em Outubro p.p. - foi ostensivamente patrocinada pelos Estados Unidos. A ingerência da sua Embaixada sobretudo em pressões exercidas sobre altas patentes do Exercito, motivou aliás a expulsão de dois adidos militares norte-americanos.

Nas vésperas da eleição, Maduro revelou que haviam sido presos paramilitares colombianos que preparavam uma conspiração para o assassinar e informou que estava a receber diariamente ameaças de morte.

Milhões de venezuelanos festejaram nas ruas a eleição do sucessor de Hugo Chávez. A sua vitória foi também saudada com entusiasmo em Cuba, na Bolívia e no Equador e pelas esquerdas latino-americanas em geral. Mas as forças progressistas da pátria de Bolivar e Chávez estão conscientes de que o imperialismo vai intensificar a sua ofensiva, recorrendo a todos os meios para desestabilizar o país.
Uma certeza: Nicolas Maduro assumiu com firmeza o projeto de Hugo Chávez.

A Revolução Bolivariana continua, rumo ao Socialismo.

OS EDITORES DE ODIARIO.INFO

Gostaste do que leste?

Divulga o endereço deste texto e o de odiario.info entre os teus amigos e conhecidos