Nota dos Editores

Giap, herói do Vietname e da humanidade

Os Editores    09.Oct.13    Editores

Vo Nguyen Giap morreu num hospital militar de Hanói na passada sexta-feira, 4 de Outubro, com 102 anos (nasceu a 25 de Agosto de 1911).

Herói nacional do Vietname, começou ainda adolescente o seu compromisso com organizações revolucionárias patrióticas e a sua longa luta pela independência do seu país. Estudou na Universidade de Hanói onde se licenciou em Direito em 1937.

Conhece Ho Chi Min e adere ao Partido Comunista do Vietname, entretanto ilegalizado e perseguido pelas autoridades colonialistas francesas.

Em 1939, juntamente com Ho Chi Min e outros militantes comunistas, exila-se na China onde participa na direcção do Partido como responsável militar. No exílio tem conhecimento da prisão da sua mulher, a comunista Dang Thi Quang, entretanto assassinada pelos colonialistas franceses, tal como seu pai, filho recém-nascido e alguns irmãos.

Participou na criação da Liga Vietnamita pela Independência em 1941 e foi o estratega principal da guerra contra a França, que terminou com a estrondosa derrota francesa na batalha de Dien Bien Phu, para continuar a dirigir a luta contra os novos invasores do Vietname: os Estados Unidos da América, então o novo centro do imperialismo com as suas poderosas Forças Armadas.

Em 30 de Abril de 1975, após 21 anos de luta desigual, as tropas libertadoras do Vietname entram em Saigão, ainda a tempo de assistirem à fuga desordenada do que restava da CIA e do corpo diplomático.

Com uma vida cheia, o General Giap, como se tornou lendariamente conhecido, talvez o maior estratega militar do século XX, tinha uma confiança inabalável no Homem, um conhecimento profundo do marxismo-leninismo e uma enorme capacidade de recriar a teoria na correcta observação permanente da vida.

Por isso pôde concluir que «arma nuclear influi enormemente na estratégia e na táctica militares, mas não muda a estratégia revolucionária do proletariado nem o faz confundir quem são os seus inimigos e quais são os seus amigos. As armas nucleares influem no desenvolvimento das hostilidades e da vitória mas não são o elemento determinante da vitória e tampouco mudam a perspectiva de desenvolvimento da sociedade.

Na guerra o factor decisivo é e será sempre o homem; as massas populares são e continuarão a ser as forjadoras da história.»

Vo Nguyen Giap é um daqueles mortos que vão ao nosso lado…

Os editores de odiario.info

Gostaste do que leste?

Divulga o endereço deste texto e o de odiario.info entre os teus amigos e conhecidos