ODiario.info

Imprimir

35 quadros do PAME levados a tribunal

Os Editores :: 16.03.17

A PAME (Frente Militante de todos os Trabalhadores grega) denuncia em comunicado o facto de 35 quadros da PAME serem enviados a novo julgamento pela manifestação organizada em 30 de Janeiro de 2013 por federações e sindicatos de orientação classista junto ao Ministério de Trabalho, para protestar contra as declarações provocatórias do então Ministro de Trabalho, G.Vroutsis, de que “o sistema da segurança social foi construído na base de relações clientelistas”.

O comunicado menciona:

“Em 16 de Março, a justiça “independente” remete de novo a julgamento os 35 quadros da PAME, presidentes e membros dos executivos de dezenas de organizações sindicais, que depois de repetidos adiamentos foram finalmente declarados inocentes, uma vez que todas as acusações contra eles por parte do governo anterior da ND e do então Ministro de Trabalho, G.Vroutsis, de que tinham tentado protestar no seu gabinete, foram refutadas.

A acusação fabricada que é assim ressscitada tem que ver com a mobilização organizada por federações e sindicatos classistas em 30 de Janeiro de 2013 frente ao Ministério do Trabalho, para protestar contra as declarações provocatórias do Ministro do Trabalho, G.Vroutsis, de que o sistema de segurança social foi construído na base de relações clientelistas”.
O governo anterior tentou montar uma provocação, acusando os sindicalistas de causar danos no gabinete do Ministro de Trabalho. As fotografias que foram divulgadas e as testemunhas, demonstraram a provocação e a acusação caiu por terra, levando à dispensa de todos os acusados.

Face às novas reivindicações dos grupos empresariais e as negociações para fechar um acordo entre o governo de SYRIZA-ANEL e as instituições (NT: “a troika”), está em andamento uma tentativa de impor o silêncio dos cemitérios nos sectores e nos locais de trabalho. Em qualquer caso, entre as novas medidas antipopulares, um aspecto básico do novo acordo é o ataque contra os direitos sindicais e as liberdades dos trabalhadores, contra o direito à greve. Com a repetição do julgamento-farsa querem enviar uma mensagem, intimidar os trabalhadores, preparar o caminho para a nova ofensiva.
Apelamos às organizações sindicais a que denunciem de forma massiva a nova tentativa de criminalização da actividade sindical. Devem intensificar a sua actividade para informar amplamente e preparar os trabalhadores face aos acontecimentos, para organizar uma resposta grevista contra as novas medidas”.

A Federação Sindical Mundial (FSM) exprime a sua solidariedade com a PAME “pide ao governo grego que ponha finalmente fim ao processo penal contra os 35 sindicalistas”.


http://www.odiario.info