ODiario.info

Imprimir

O Pentágono treinou “rebeldes” da Al Qaeda na Síria na utilização de armas químicas

Michel Chossudovsky  :: 12.04.17

Os media ocidentais refutam as suas próprias mentiras. Eles não só confirmam que o Pentágono tem estado a treinar os terroristas na utilização de armas químicas como também reconhecem a existência de um não muito secreto “plano apoiado pelos EUA para lançar um ataque com armas químicas na Síria e culpar o regime de Assad” .

O Daily Mail de Londres, num artigo de 2013, confirmou a existência de um projecto anglo-americano endossado pela Casa Branca (com a assistência do Qatar) para efectuar um ataque com armas químicas na Síria e atribuir a culpa a Bashar Al Assad.

O artigo seguinte no Mail Online foi publicado e a seguir removido. Note-se o discurso contraditório: “Obama emitiu advertência ao presidente sírio Bashar al Assad”, “Casa Branca dá sinal verde a ataque com armas químicas”.
Esta reportagem no Mail Online publicada em Janeiro de 2013 foi removida a seguir.
Para mais pormenores clique aqui.

A CNN acusa Bashar Al Assad de matar seu próprio povo enquanto reconhece também que os “rebeldes” não só estão na posse de armas químicas como ainda que estes “terroristas moderados” filiados à Al Nusra são treinados na utilização de armas químicas por especialistas sob contrato com o Pentágono.
Numa lógica enviesada, o mandato do Pentágono era assegurar que os rebeldes alinhados com a Al Qaeda não adquiririam ou utilizariam ADM, ao realmente treiná-los na utilização de armas químicas (soa contraditório):

“O treino [em armas químicas], que está a realizar-se na Jordânia e na Turquia, envolve como monitorar e proteger stocks de matérias-primas e manusear sítios e materiais com armas, de acordo com as fontes. Alguns dos empreiteiros estão no terreno na Síria a trabalhar com os rebeldes para monitorar alguns dos sítios, segundo um dos responsáveis.
A nacionalidade dos treinadores não foi revelada, embora os responsáveis previnam contra a hipótese de serem todos americanos. (CNN , 09/Dezembro/2012).
A reportagem acima, da jornalista premiada Elise Labott, da CNN (relegada para o status de um blog da CNN), refuta numerosas acusações da CNN contra Bashar Al Assad.

E estes são os mesmos terroristas (treinados pelo Pentágono) que são os alegados alvos da campanha de bombardeamento anti-terrorista de Washington iniciada por Obama em Agosto de 2014:

“O esquema estabelecido pelo Pentágono em 2012 consistiu em equipar e treinar rebeldes Al Qaeda na utilização de armas químicas, com o apoio de empreiteiros militares contratados pelo Pentágono – e a seguir sustentar que o governo sírio era responsável por utilizar as ADM contra o povo sírio.

O que está a desdobrar-se é um cenário diabólico – que é uma parte integrante do planeamento militar – nomeadamente uma situação em que terroristas da oposição aconselhados pelos empreiteiros ocidentais da defesa estão realmente na posse de armas químicas.

Isto não é um exercício de treino rebelde em não-proliferação. Enquanto o presidente Obama declara que “você será responsabilizado” se “você” (referindo-se ao governo sírio) utilizar armas químicas, o que é contemplado como parte desta operação encoberta é a posse de armas químicas pelos terroristas patrocinados pelos EUA-NATO, nomeadamente “pelos nossos” operacionais filiados à Al Qaeda, incluindo a Frente Al Nusra, a qual constitui o mais eficaz grupo combatente financiado e treinado pelo ocidente, em grande parte integrado por mercenários estrangeiros. Numa distorção amarga, Jabhat al-Nusra, um “activo de inteligência” patrocinado pelos EUA, foi colocado recentemente na lista de organizações terroristas do Departamento de Estado.

O ocidente afirma que vem para resgatar o povo sírio, cujas vidas estão alegadamente ameaçadas por Bashar Al Assad. A verdade é que a aliança militar ocidental não só está a apoiar os terroristas, incluindo a Frente Al Nusra, como também a tornar disponíveis armas químicas para a sua “oposição” de forças rebeldes.

A fase seguinte deste cenário diabólico é que as armas químicas nas mãos de operacionais da Al Qaeda serão utilizadas contra civis, o que poderia potencialmente levar toda uma nação a um desastre humanitário.

A questão mais ampla é: quem é uma ameaça para o povo sírio? O governo sírio de Bashar al Assad ou a aliança militar EUA-NATO-Israel, que está a recrutar forças terroristas de “oposição”, as quais estão agora a ser treinadas na utilização de armas químicas” ( Michel Chossudovsky , 08/Maio/2013).
07/Abril/2017
O original encontra-se em globalresearch.ca

Este artigo encontra-se em resistir.info/.


http://www.odiario.info