A quebra da produtividade, a elevada distribuição de lucros e as transferências para o exterior que não pagam impostos

Eugénio Rosa    29.Jun.17    Outros autores

No 1º Trimestre de 2017 o VAB nacional a preços de base aumentou 2,1% em relação ao 1º Trimestre de 2016, mas a produtividade por empregado diminuiu neste mesmo período 1,1%. A produtividade do trabalho tem diminuído de uma forma contínua desde 2013. É um indicador de que a modernização do aparelho produtivo nacional não se está a fazer de forma rápida e sustentada, pois o aumento da produtividade do trabalho depende em boa parte das condições em que o trabalhador desenvolve a sua actividade, nomeadamente do investimento realizado pelas empresas na modernização e inovação. Muitas empresas, em lugar de investir os seus lucros, optaram por os distribuir aos seus accionistas indo depois endividar-se, como acontece com a EDP, que é um caso paradigmático. Muitos destes lucros são depois transferidos para o estrangeiro, uma parte deles para paraísos fiscais, não pagando impostos sobre dividendos em Portugal.

Leer texto completo [PDF]

Gostaste do que leste?

Divulga o endereço deste texto e o de odiario.info entre os teus amigos e conhecidos