A redução do défice em 2016 foi conseguida à custa da Segurança Social, da Função Pública, do Investimento Público e da contenção da despesa do SNS.

Os Editores    25.Feb.17    Outros autores

O governo vangloria-se de uma redução do défice ainda superior ao que a troika exigiria. Não há razão para festejar, se essa redução é obtida à custa de um elevado excedente obtido na Segurança Social - nomeadamente com a diminuição do número de beneficiários de prestações sociais de combate à pobreza - e na Administração Local, e do congelamento das remunerações e das carreiras dos trabalhadores Função Pública. Ao mesmo tempo os juros e encargos com a divida pública foram, em 2016, 2,1 vezes superiores a todo o investimento.

Leer texto completo [PDF]