O combate à pobreza em Portugal ainda não passou de declarações de intenção

Eugénio Rosa    16.Nov.16    Outros autores

Durante o governo PSD/CDS e “troika” perto de meio milhão de portugueses, na sua esmagadora maioria pobres, perderem o direito a prestações sociais. Como consequência destes cortes o governo PSD/CDS reduziu, entre 2010 e 2015, a despesa com prestações sociais em 1.244,1 milhões €. Reduziu o défice orçamental à custa do aumento da pobreza. Em 9 meses de governo PS (Dez.2015-Set.2016) esta tendência de redução dos beneficiários de prestações sociais não foi invertida, reduzindo ainda o número de beneficiários de prestações sociais. Enquanto o governo se recusa também a conceder o aumento de 10€ aos reformados e aposentados com pensões mínimas, a Segurança Social acumula elevados excedentes. Segundo a “Síntese da execução orçamental mensal” divulgada pela DGO, no período de Jan-Set. 2016, a Segurança Social acumulou um excedente no montante de 1.152,9 milhões € que serviu para reduzir o défice orçamental.

Leer texto completo [PDF]

Gostaste do que leste?

Divulga o endereço deste texto e o de odiario.info entre os teus amigos e conhecidos