:: Outros autores

Odiario

Trump, o presidente gangster

Fred Goldstein    20.Jun.17

A classe dominante é responsável por manter Trump no poder e por tudo o que de racista e reaccionário ele fizer. Trump é o seu representante como classe e as massas populares devem considerar os capitalistas responsáveis por todos os crimes que Trump cometer contra o povo.

Odiario
Odiario

Eleições e terror*

Jorge Cadima    19.Jun.17

O referendo do Brexit e as recentes eleições exprimiram o descontentamento do povo britânico – uma das primeiras vítimas da ofensiva ‘neoliberal’ das últimas quatro décadas – com as políticas de empobrecimento da grande maioria e o obsceno enriquecimento duma pequena minoria, inseparáveis das políticas de guerra e terrorismo no plano mundial.

Odiario
Odiario

Regabofe no banco público: a administração da CGD teve aumentos superiores a 82% mas pretende congelar salários dos trabalhadores até 2020

Eugénio Rosa    18.Jun.17

O ganho médio da esmagadora maioria dos portugueses diminuiu no período 2010-2015, quando comparado com o ganho médio da UE28. A maior parte dessa perda ainda não foi revertida. O mesmo não aconteceu com os membros do conselho de administração e de fiscalização da CGD, que logo após a enorme recapitalização da “Caixa” com o dinheiro dos contribuintes tiveram aumentos que variaram entre 79,6% e 166,9%. E pretendem agora manter congelados as remunerações dos trabalhadores da CGD até 2020, apesar destas remunerações não terem tido qualquer aumento desde 2010.

Odiario
Odiario
Entrevista com Vladimir Putin

“Não conheço Trump, mas agrada-me que ele seja simples e directo”

Pelo seu óbvio interesse informativo publicamos, como documento, a transcrição completa da entrevista realizada pelos presidentes das dez maiores agências de notícias do mundo com o presidente da Rússia, Vladimir Putin.

Odiario
Odiario

A esquerda perante a Venezuela

Claudio Katz*    16.Jun.17

A ofensiva contra a Venezuela bolivariana jogou uma cartada “de esquerda”, que teve a adesão de gente respeitável, e de outros que não merecem respeito. Este notável texto desmonta em profundidade o sentido de tais posições no quadro do golpe reaccionário em curso. «Se os principais inimigos são a direita e o imperialismo, vergá-los é sempre uma prioridade. Este princípio elementar deve ser reafirmado nos momentos críticos, quando o óbvio se torna difuso. Quaisquer que fossem as críticas a Salvador Allende a batalha central era contra Pinochet. E a mesma conduta devia adoptar-se frente aos gorilas argentinos de 1955 ou os sabotadores de Arbenz, Torrijos e os diferentes governos anti-imperialistas da região. Esta postura implica que, hoje, na Venezuela, se defina uma posição comum contra a escalada da direita.
Nos cenários de golpe também é indispensável distinguir os responsáveis pela crise. Não é o mesmo ser o causador de um desastre ou ser impotente para o resolver.»

Odiario
Odiario

¿Quando vai a esquerda israelita aceitar que a ocupação se iniciou em 48 e não em 67?

Rami Younis    15.Jun.17

Os israelitas que se afirmam de esquerda mas recusam reconhecer que a origem do seu Estado assenta na limpeza étnica do povo árabe e na ocupação das suas terras em 1948 – a Nakba – podem falar muito de paz, mas nunca estarão em condições de compreender a justeza das reivindicações e da luta do povo palestino.

Odiario
Odiario

O comandante das FARC Jesús Santrich adverte o ELN de que não seja ingénuo face ao Estado colombiano

Jesús Santrich    14.Jun.17

Este importante conjunto de entrevistas de um destacado comandante das FARC traz relevantes informações sobre a aplicação do Acordo de paz de Havana. As advertências que Jesús Santrich dirige ao ELN são particularmente esclarecedoras. E, como lembra às FARC e ao povo colombiano, vêm aí tempos muito difíceis. Como se trata da transcrição de diferentes entrevistas video, existem algumas – inevitáveis - repetições de conteúdo.

Odiario