Nota dos Editores

1º de Maio de 2011: as ruas contra a capitulação nacional

Os Editores    02.May.11    Editores

De Norte a Sul do país os trabalhadores saíram à rua para celebrar o 1º de Maio. Trabalhadores de diferentes gerações. Operários, agricultores, trabalhadores dos serviços, intelectuais. Populações em luta pelos seus direitos. Os desfiles mobilizaram por todo o país muitas e muitas dezenas de milhares.
Com duas afirmações comuns mais fortes do que todas as outras: a recusa da ingerência externa, da UE e do FMI; a determinação de lutar por uma viragem política, contra as políticas que PS, PSD e CDS-PP há mais de trinta e cinco anos levam à prática.
Nos gabinetes, é bem possível que o trabalho acelerado da “troika” FMI/BCE/UE e dos seus lacaios nacionais tenha prosseguido. Querem apresentá-lo ao povo português como facto consumado muito antes das eleições de 5 de Junho. Desprezam a esse ponto a vontade popular.
Mas andarão muito errados se imaginarem que a força das massas pode ser ignorada, e ainda mais errarão se imaginarem que pode ser iludida ou reprimida.
Este 1º de Maio deverá ser tomado como mais uma séria advertência. A 6 de Maio realizar-se-á uma grande jornada de luta dos trabalhadores da Administração Central, que conta já com um impressionante volume de adesões. Hoje mesmo foram anunciadas duas grandes manifestações para dia 19 de Maio, em Lisboa e Porto.
Que tenham isso em conta todos aqueles que julgam ter poder suficiente para impor novos roubos de direitos, salários, património público, soberania nacional.
A última palavra pertencerá aos trabalhadores e ao povo em luta.

Gostaste do que leste?

Divulga o endereço deste texto e o de odiario.info entre os teus amigos e conhecidos