Artículos de: Noviembre, 2017

Odiario

100 anos depois, alguns factos esquecidos da Revolução Russa.

République sociale    23.Nov.17    Outros autores

Este texto de um sítio progressista francês recorda aspectos relevantes do impacto global da Revolução de Outubro e do papel da URSS. Mas publicamo-lo também por vir de um país cujo partido comunista, celebrando o centenário à sua maneira, omite inteiramente o papel da URSS na derrota do nazi-fascismo e na luta anti-imperialista.

Odiario
Odiario

Breve história da NATO de 1991 aos dias de hoje (VII, VIII)

Manlio Dinucci    22.Nov.17    Outros autores

Com o seu “novo conceito estratégico” a NATO arrogou-se a possibilidade de intervir em «não importa que missão em não importa que parte do mundo». Criou e associou-se a grupos terroristas e ao Estado terrorista por excelência, o estado sionista de Israel. A destruição do Estado Líbio não gerou apenas um saque nacional e uma tragédia regional. Assentou um profundo golpe em toda a aspiração do continente africano a libertar-se do neocolonialismo.

Odiario
Odiario

Em 2016 os portugueses pagaram pelo gás um preço 46,3% superior ao preço médio da UE

Eugénio Rosa    20.Nov.17    Outros autores

Neste terceiro estudo sobre os preços da energia e dos combustíveis mostra-se que o que acontece com a electricidade e a gasolina e o gasóleo acontece também com o gás. Só que com uma dimensão ainda maior, no gás consumido pelas famílias, na diferença de preço entre Portugal e a União Europeia. Mais uma vez enorme lucro para as empresas à custa do magro bolso dos consumidores. E, também neste caso, governo, Autoridade da Concorrência e ERSE nada fazem.

Odiario
Odiario

Os efeitos nocivos dos “Antifa” nos EUA

Diana Johnstone    18.Nov.17    Outros autores

Este texto dá conta de um movimento recente nos EUA pouco conhecido entre nós: o Antifa. A autora (de quem foi recentemente publicado o livro «Rainha do caos», sobre Hillary Clinton) tem suficiente experiência política para saber do que fala. E, para além do que fala, o que se lê nas entrelinhas é a alarmante situação de boa parte do progressismo americano, ideológica e politicamente à deriva.

Odiario
Odiario

Petrolíferas sem controlo em Portugal arrecadam lucros extraordinários impondo preços superiores aos da UE

Eugénio Rosa    17.Nov.17    Outros autores

O escândalo dos preços dos combustíveis em Portugal ainda é maior do que o da electricidade. O preço de venda é sempre superior ao preço médio da União Europeia. As petrolíferas e os seus defensores na comunicação social espalham a mentira de este valor pago a mais pelos consumidores portugueses se deve a que os impostos em Portugal sobre os combustíveis são superiores aos impostos nos outros países. Mas a verdade é que o que os portugueses pagam se deve não a impostos a mais mas sim a lucros a mais. E daí resulta que nos primeiros 9 meses de 2017 os lucros da GALP foram superiores em 300% (4 vezes mais) aos obtidos em idêntico período de 2016. E ninguém – nem o governo nem a Autoridade da Concorrência - tem a coragem de pôr cobro a este escândalo.

Odiario
Odiario

Os comunistas ante o buraco negro do nacionalismo espanhol

Ángeles Maestro    16.Nov.17    Outros autores

No confronto suscitado pela situação na Catalunha tem-se verificado um chocante alinhamento público entre dirigentes e ex. dirigentes da IU e do PCE e o nacionalismo espanhol herdado do franquismo. Do ponto de vista político e ideológico e do ponto de vista de classe constitui uma capitulação que prolonga a verificada no processo da Transição dos anos 70.

Odiario
Odiario

Óscar Lopes e a cidadania ou o compromisso militantee com o sentido*

Manuel Gusmão    15.Nov.17    Outros autores

No ano do centenário do seu nascimento, evocamos Óscar Lopes. Intelectual de excepcional envergadura, Óscar Lopes foi um destacado resistente antifascista e um revolucionário: « é um militante comunista, ou seja, para além da compreensão e da exigência de defender com pertinácia a independência e a autonomia do seu trabalho intelectual, ele decidiu, para garantir a pertinência de tais questões, colocá-las ao serviço da outra classe. E assim, quando tenta encontrar ou descortinar o sentido de um texto ou de um conjunto de textos, Óscar Lopes é levado a pôr questões obrigadas ao ponto de vista da classe operária e dos trabalhadores em geral.»

Odiario