Artículos de: Febrero, 2018

Odiario

A CGD apresentou lucros, mas há motivos para preocupação

Eugénio Rosa    19.Feb.18    Outros autores

Como a CGD apresentou resultados positivos de 52 milhões € em 2017, os media e o próprio presidente da República vieram felicitar a administração presidida por Paulo Macedo pelo êxito alcançado. Mas os números não justificam tanta festa. As contas divulgadas pela CGD revelam que o resultado positivo foi conseguido fundamentalmente à custa: (1) De um corte muito significativo nos juros pagos aos depositantes; (2) Do aumento das comissões liquidas obtidas, o que determinou para muitos depositantes um corte no seu capital já que não recebem juros ou recebem quase zero pelos depósitos; (3) De um elevado montante de mais-valias obtidas com a venda de títulos, ou seja, receita aleatória; (4) De resultados líquidos positivos da actividade internacional (que a Comissão Europeia quer que se seja vendida). E a concessão de crédito e também os depósitos diminuíram em 2017, o que não pode deixar de causar legitimas preocupações.

Odiario
Odiario

O Exército da UE

Will Podmore    17.Feb.18    Outros autores

O avanço da chamada Cooperação Estruturada Permanente (PESCO) da UE é mais um enorme passo no sentido da criação de um exército europeu. E, como o autor observa, esse exército UE, mais do que um pilar do federalismo é um pilar de um único estado “europeu”.

Odiario
Odiario

Sabotagem à democracia na Venezuela

Atilio Boron    15.Feb.18    Outros autores

Depois de longos meses de diálogo e negociação em Santo Domingo, o governo e a oposição venezuelana tinham chegado a um acordo. Apenas faltava a cerimónia da assinatura. Mas as ordens de Washington fizeram tudo voltar atrás. Para os EUA a única solução aceitável é a do caos, da violência e da intervenção militar. Sejam quais forem os custos e a dimensão da tragédia.

Odiario
Odiario

Sobre a nudez forte da verdade – o manto diáfano da fantasia

OTC    14.Feb.18    Outros autores

O desinvestimento na Ciência em Portugal nos últimos 6 anos é devastador. A deriva de políticas científicas acompanhada por uma catastrófica política de recursos humanos e pelos cortes brutais de orçamento durante o período de intervenção da troika atinge hoje proporções que ultrapassam as análises mais pessimistas que se foram fazendo ao longo da última década.

Odiario
Odiario

A reestruturação violenta do mercado de trabalho em Portugal

Eugénio Rosa    13.Feb.18    Outros autores

Embora possa ter passada despercebida a sua dimensão, o certo é que no nosso país, com a crise e com a “troika,” se registou uma reestruturação violenta e rápida do mercado de trabalho, que determinou a expulsão maciça de trabalhadores com o ensino básico, em escala muito superior ao emprego destruído. Associado a isso aumentou a proletarização e a precariedade, e os baixos salários tornaram-se cada vez mais dominantes.

Odiario
Odiario
Intervenção na abertura do Fórum Social Mundial

«Para sairmos desta caminhada vertiginosa para o abismo, é necessário evitar que o mercado substitua a política»

Avelãs Nunes“Neste tempo de crise estrutural do capitalismo os trabalhadores do Brasil, da América Latina, da Europa, dos EUA e de todos os continentes hão-de compreender a urgência de transformar o mundo, começando por mudar as políticas levadas a cabo nas últimas três ou quatro décadas pelo estado capitalista.”

Odiario
Odiario

Tillerson, um périplo fracassado

No artigo que ontem publicámos era feita a denúncia dos planos EUA para uma escalada de agressão contra a Venezuela, e do périplo do Secretário de Estado Tillerson visando arregimentar apoios. Mas o que conseguiu foi muito pouco, se comparado com a arrogância imperial com que fora antecipado. O poder militar EUA está cada vez mais distante do seu poderio económico. Mesmo os países latino-americanos que nada têm de progressistas constatam que até a defesa dos interesses das suas burguesias implica perspectivas menos sujeitas ao decadente vizinho do norte.

Odiario