ODiario.info

Imprimir

Comunistas de Porto Rico apelam ao repúdio da junta de Wall Street

hispantv :: 20.10.16

Porto Rico é para os EUA uma colónia. Enquanto não a anexam (o que se espera para Janeiro de 2021) impõem ao seu governo uma junta de controlo, que os comunistas porto-riquenhos designam, muito justamente, como junta de Wall Street.

O Partido Comunista de Porto Rico denuncia o carácter colonialista e opressor da junta de controlo que Wall Street impõe à ilha.

“Necessitamos de agrupar a angústia e a raiva que todos os sectores da classe trabalhadora sentem ante a violência do Estado colonial, (como) única maneira para combater o novo regime ditatorial do capitalismo, o carácter violento e opressivo da junta de Wall Street”, assinala uma mensagem do Partido Comunista do Porto Rico (PCPR).

A nota, emitida no sábado pela comissão política do PCPR, convoca a classe trabalhadora para uma luta a longo prazo: “a junta de Wall Street intensificará o desemprego, o fechamento de escolas, a privatização dos recursos naturais e da geração de energia, entre outros”.

Aquela formação política recorda que a ilha do Caribe de 3,5 milhões de habitantes atravessa uma situação económica crítica –  a dívida pública supera os 73 milhares de milhões de dólares  – e denuncia que o Governo do Porto Rico está sendo administrado pela junta de controlo fiscal imposta por Washington mediante a legislação Promesa, acrónimo em inglês da Lei para a Supervisão, Administração e Estabilidade Económica de Porto Rico.

Por isso, os comunistas insistiram no seu apelo a um boicote activo às eleições porto-riquenhas de 8 de Novembro próximo.

Os comunistas porto-riquenhos afirmaram que a junta de Wall Street superará os poderes do Estado Livre Associado, uma peculiar forma de administração que Washington designa para Porto Rico, que continua colonizado e se espera que anexe em Janeiro de 2021.

Em Junho, quando o Congresso estado-unidense debatia a lei Promesa, o governador porto-riquenho, Alejandro García Padilla, advertiu que os EUA “querem retirar” a soberania desta ilha caribenha com o seu plano para impor uma junta fiscalizadora no território.

A crise económica da ilha, segundo especialistas, tem as suas origens no seu estatuto político, devido a que este país não tem um modelo económico, não tem poderes soberanos para controlar cabalmente sua economia nem tampouco capacidade para imprimir papel-moeda.

Tradução: Partido Comunista Brasileiro (PCB)
Fonte: http://www.hispantv.com/noticias/puerto-rico/300579/pcpr-comunista-boricua-junta-control-wall-street


https://www.odiario.info