As FARC aceitam iniciar o diálogo sobre o Acordo Humanitário e Paz na Colômbia
Carta do Secretariado do Estado-Maior das FARC-EP

Alfonso Cano
Publicamos hoje, na íntegra, as cartas trocadas entre um numeroso grupo de intelectuais colombianos «partidários da solução política para os problemas da guerra e da paz» no seu país, e a carta de aceitação das conversações do Secretariado do Estado-Maior Central das FARC-EP, ontem divulgadas na Colômbia.

Respeitados Compatriotas:

Recebemos com agrado a vossa missiva de Setembro em que nos convidam a explorar colectivamente caminhos da paz, afastados do actual rumo governamental de guerra perpétua, o que significa persistir na impossível solução militar dos problemas políticos, económicos e sociais que subjazem no cruel conflito que abala o país.

Saudamos o florescimento de uma corrente de opinião que se afasta do falso triunfalismo e dos parâmetros da solução belicista dos grandes problemas nacionais. Não duvidamos do seu êxito, porque coincide com o sentimento e anseios de paz das maiorias.

Esta carta é já o começo do intercâmbio epistolar que nos propõem para discutir sobre uma saída política para o conflito, a troca humanitária e a paz. Participaremos com os olhos no povo, num diálogo amplo, franco, sem dogmatismos, sem sectarismos e sem desqualificações dos temas que nos sugerem. É necessário esforçarmo-nos na procura do compromisso entre o maior número possível de organizações políticas e sociais, e de pessoas independentes.
Mapa da Colômbia
A nossa disposição de explorar as possibilidades para a troca humanitária e a paz com justiça social, que é hoje o clamor e a necessidade mais urgente e sentida por toda a nação, continua imutável. A libertação unilateral de seis ex congressistas no passado recente, entregues ao Presidente Hugo Chávez e à senadora Piedad Córdoba, procurava criar condições e ambientes propícios à troca de prisioneiros em poder das partes em conflito. Este facto é testemunho probatório da nossa vontade política.

Respeitosamente sugerimos, para reforçar este novo empreendimento, ter em conta a manifesta disposição da grande maioria de Presidentes latino-americanos em contribuir com os seus esforços para o processo de intercâmbio humanitário e a paz.

A imensa bandeira da paz com justiça social deverá ondear definitivamente, livre, sob o céu da Colômbia. A guerra eterna contra o povo que nos querem impor, para perpetuar a injustiça, não pode ser o destino da pátria.

Compatriotas,

Recebam as nossas cordiais saudações

a) O Secretariado do Estado-Maior Central das FARC-EP

Montanhas da Colômbia, 16 de Outubro de 2008


Carta de intelectuais colombianos ao Secretariado do Estado-Maior das FARC-EP

Bogotá DC., 11 de Setembro de 2008

Senhores Membros do Secretariado:

A solução da crise múltipla que aflige a sociedade e o Estado colombianos exige uma judiciosa reflexão, bem como a participação dos diferentes sectores com expressão na sociedade civil e dos actores comprometidos no conflito interno armado, social e político que amargura o país, com o objectivo de evitar prejudicar a institucionalidade e propiciar a construção de uma democracia plena com justiça social e paz em que caibamos todos.

Em virtude disso, a nossa aspiração é trabalhar para desbloquear os caminhos que conduzam à concretização de um Acordo Humanitário que permita a libertação de sequestrados e prisioneiros em poder da insurreição armada das FARC e, ao mesmo tempo, a liberdade dos presos desta guerrilha sob jurisdição do Estado.

Compreendemos que uma alternativa diferente ao entendimento político para celebrar um Acordo Humanitário e facilitar uma saída negociada para o conflito implicaria o padecimento de importantes sectores da população, o eminente perigo para a vida dos cativos que estão na selva, a degradação da guerra, e o estímulo à militarização e ao autoritarismo e debilitamento institucional do processo político nacional.

A escalada do confronto ultrapassou a geografia nacional e teve impacte em territórios de países irmãos, com diversos factos de violência institucional que criaram dificuldades às relações diplomáticas do nosso país.

Não obstante, temos a certeza de que os presidentes e chefes de Estado de povos irmãos no hemisfério e dos denominados países amigos europeus concorrerão de forma solidária a apoiar os processos de diálogo que estamos a propor.

Pelas razões expostas e com espírito empreendedor, desde agora, na procura de soluções a favor da paz na Colômbia e do sossego dos seres humanos afectados pelo conflito, de modo cordial convidamo-los a desenvolver um diálogo público através de intercâmbio epistolar através do qual os senhores, nós e em geral a sociedade colombiana, possamos identificar os elementos que permitam definir uma agenda que esclareça as rotas em que seria possível um entendimento, com vista ao desejado acordo humanitário.

Consideramos que já existe uma considerável corrente de opinião favorável à promoção de factores contrários à solução armada, e que está em condições de colocar os referentes apropriados para gerar uma controvérsia democrática sobre os temas da paz e da guerra na Colômbia, com o fim de propiciar a conviv^ncia pacífica dentro de uma nova ética social.

aa) Piedad Córdoba Ruíz, Medófilo Medina, Fabio Morón Díaz, José Gregorio Hernández, Víctor Manuel Moncayo, Alfredo Beltrán Sierra, Jaime Angulo Bossa, Daniel Pecaut, Consuelo González de Perdomo, Luís Eladio Pérez, Orlando Beltrán Cuellar, Alfredo Molano B, Javier Darío Restrepo, Daniel Samper Pizano, Gustavo Álvarez Gardeazabal, Alberto Rojas Puyo, Francisco Leal Buitrago, Hernando Gómez Buendía, Iván Cepeda Castro, Raúl Alameda O, Florence Thomas, Alpher Rojas Carvajal, Rocio Londoño Botero, León Valencia A, Jorge Enrique Botero, Consuelo Ahumada, Marleny Orjuela, Fabiola Perdomo E, Deyanira Ortiz Cuenca, Martha Arango de Lizcano, Claudia Rujeles Flórez, Ángela de Pérez, Yolanda Polanco P, Marc Chernick, Gabriel Izquierdo S.J., Gloria Cuartas, Fernán González S.J., José Gutiérrez, Juanita Barreto G, Padre Henry Ramírez Soler cmf, Juan Sebastián Lozada P, Álvaro Camacho Guisado, Apolinar Díaz-Callejas, Lisandro Duque Naranjo, Alberto Cienfuegos, Ricardo Bonilla G, Leopoldo Múnera Ruíz, Renán Vega Cantor, Ciro Quiroz, Carlos Lozano Guillen, Jairo Maya Betancur, Ricardo García Duarte, Jorge Gantiva S, Carlos Villalba Bustillo, Constanza Vieira, Gloria Polanco, Apecidez Álviz F, Carlos A. Rodríguez Díaz, Venus Albeiro Silva, Andrés Felipe Villamizar, Arlen B. Tickner, Santiago García, Pepe Sánchez, Patricia Ariza, Carlos Álvarez Nuñez, Víctor Gaviria, Jennifer Steffens, Bruno Díaz, Zulia Mena, Gustavo Duncan, Lilia Solano, Julio Silva Colmenares, Oscar Mejía Quintana, Arturo Escobar, Rafael Ballén, William García Rodríguez, César Augusto Ayala Diago, Carlos Medina Gallego, Diego Otero Prada, Rubén Darío Florez, Darío Villamizar H, Luís Fernando Medina, Santiago Araoz F, Fabian Acosta, Alonso Ojeda Awad, Jimmy Viera, Efraín Viveros, Mauricio Rojas Rodríguez, Eduardo Gómez, Carlos Villamil Chaux, Fernando Estrada G, Moritz Akerman, Ricardo Montenegro V, Santiago Vásquez L, Enrique Santos Molano, Libardo Sarmiento Anzola, Hollman Morris, Reinaldo Ramirez García, Jairo E. Gómez, Daniel Libreros C, Jaime Caicedo T, Héctor Moreno Galviz, Mauricio Archila Neira, Dora Lucy Arias, Luís Alberto Ávila A, Olga Amparo Sánchez, Norma Enríquez R, Orsinia Polanco, Caterina Heyck, Guillermo Silva, Luís Enrique Escobar, Eduardo López Hooker, Eduardo Carreño, Alexandra Bermúdez, Pilar Rueda, Fernando Arellano, Gabriel Awad, Cristo Rafael García Tapias, Alfonso Santos C, Jorge Lara Bonilla, Miguel Eduardo Cárdenas, Andrés A. Vásquez M, Jaime Calderón Herrera, Álvaro Bejarano, Álvaro Delgado, Álvaro Villarraga, Armando Palau, Juan de Dios Alfonso, Darío Morón Díaz, Carlos Rosero T, Maria Eugencia Liévano, Gonzalo Uribe Aristizabal, Edgar Martínez C, Esperanza Márquez M, Dídima Rico Chavarro, Danilo Rueda R, Eduardo Franco Isaza, Evelio Ramírez, Fructuoso Arias, Gabriel García B, Gabriel Ruiz O, Germán Arias Ospina, Gustavo Puyo A, Gustavo García, Hernán Cortéz A, Ivonne González, Jaime Pulido Sierra, Jaime Vasco A, Juanita Bazán A, Luís Eduardo Salcedo, Luís Jairo Ramírez H, Mario Santana, René Antonio Florez C, Sara Leukos, Víctor José Pardo, Pepe Sánchez, Claudia Rujeles de Jara, Marta Arango de Lizcano, María Teresa de Mendieta, Silvia Patricia Nieto.

Estes textos foram divulgados pela ANNCOL (Agência Notícias Nova Colômbia) site da senadora Piedad Córdoba

Tradução de José Paulo Gascão

Gostaste do que leste?

Divulga o endereço deste texto e o de odiario.info entre os teus amigos e conhecidos