Esperança de vida e anos de vida com saúde diminuem em Portugal devido ao desinvestimento e à falta de meios no SNS

Eugénio Rosa    16.Mar.21    Outros autores

A pandemia tornou visível a situação grave em que se encontrava o SNS em consequência do subfinanciamento crónico, da falta de profissionais de saúde devido à ausência de carreiras, de remunerações e condições de trabalho dignas, promovendo a promiscuidade público-privada, a baixa produtividade no SNS, e a deficiente cobertura da população de cuidados de saúde. Tudo isto se agravou com a pandemia. Tudo isto serve para promover o negócio de saúde privado que explodiu em Portugal, com o aparecimento de grandes grupos de saúde (LUZ, CUF, LUSÍADAS, TROFA, HPA, etc.). A degradação em que o SNS se encontrava tornou o colapso mais rápido e os seus efeitos mais graves e obrigou a sucessivos confinamentos que destruíram a economia, causaram o aumento explosivo da dívida pública e da pobreza.

Ler texto completo [PDF]

Gostaste do que leste?

Divulga o endereço deste texto e o de odiario.info entre os teus amigos e conhecidos