Inaceitável a forma como tem sido tratada a Caixa Geral de Depósitos (CGD)

Eugénio Rosa*    26.Jul.16    Outros autores

Não é preciso ser perito para, depois de ler este texto de Eugénio Rosa, perceber a gravidade da situação da banca em Portugal, nomeadamente da Caixa Geral dos Depósitos.
Se é hoje evidente que o rebentar da crise estrutural do sistema do capital em 2007 e a inerente ao sistema capitalista lei tendencial de diminuição da taxa de lucro levaram o capital a intensificar a especulação e a financeirização da economia, agravaram e aceleraram o desenvolvimento dessa mesma crise, é injustificável a forma irresponsável e negligente como o PS e PSD negociaram administrações e impuseram, às cúmplices administrações, empréstimos que se revelaram créditos malparados, compra de ativos ruinosos e tudo o mais que se sabe e o que ainda se ignora…
É por isso que, pactuar com a situação, seja em nome do que for, é cumplicidade com uma política desastrosa que é cada vez mais um caso de polícia.

Leer texto completo [PDF]

Gostaste do que leste?

Divulga o endereço deste texto e o de odiario.info entre os teus amigos e conhecidos