Uma devastadora crise económica e social que o comportamento do governo agravará

Eugénio Rosa    09.Jul.20

O governo reduziu o investimento público do Estado no Orçamento Suplementar, e 9.828 milhões € de Fundos Comunitários ficaram por utilizar. A insuficiência do investimento público está a ter consequências graves no investimento total no país, e vai ter efeitos dramáticos no aumento do desemprego e no alastrar da miséria.

Odiario
Odiario

A Lei sobre a Segurança Nacional para Hong Kong dá a palavra ao governo central

Chen Qingqing    08.Jul.20

Bastará dar uma vista de olhos aos media “de referência” e registar o coro de insultos e de desinformação em relação à República Popular da China - e com particular incidência nas medidas que aprovou em relação a Hong Kong – para se ter uma ideia do que está em causa. É óbvio que o problema de Hong Kong é político, e só poderá ter solução por meios políticos. Mas quando o protesto popular surge encabeçado por pessoas ostentando a bandeira dos EUA e tem a ostensiva intervenção das ex-potências coloniais e da UE, há medidas de defesa a tomar.

Odiario
Odiario

A pandemia não pára a luta mas a luta pára a pandemia

António Santos    07.Jul.20

A grande movimentação popular anti-racista nos EUA tem tido destaque nos media. Em contrapartida, notícias sobre lutas dos trabalhadores são poucas ou nenhumas. Este artigo faz uma resenha da situação, num país em que à exploração e à degradação das condições de trabalho se junta uma desumana exposição à pandemia.

Odiario
Odiario

Anexação*

Jorge Cadima    05.Jul.20

O poder sionista em Israel, sempre com o apoio dos EUA, pretende avançar com a anexação formal de quase um terço da Cisjordânia. Tratar-se-ia de uma machadada – que Israel e Trump-Pompeo desejam definitiva – na viabilidade de um Estado Palestiniano, que rasgaria décadas de promessas de resoluções internacionais e mesmo de acordos assinados por Israel e EUA. Um novo crime a juntar a já tantas décadas de ocupação e genocídio. Como vem sendo habitual, o Governo Português e o seu cada vez mais inqualificável MNE envergonham o país com o seu silêncio cúmplice. É necessária toda a solidariedade ao povo palestiniano!

Odiario
Odiario

Atrocidades de Bill Clinton na guerra na Sérvia expostas em nova acusação

James Bovard    03.Jul.20

A figura grotesca de Trump pode tentar a fazer esquecer as responsabilidades históricas dos seus antecessores no cargo. Mas, mesmo olhando apenas para os que assumiram a presidência dos EUA desde o final do século XX – Clinton, Bush, Obama – o traço comum é evidente: todos são responsáveis por criminosas agressões militares e guerras, pela destruição de países, pela morte e a condenação à miséria, à fome, ao abandono da sua terra de milhões de homens e mulheres. E todos se aliaram com a pior escória humana à face da terra.

Odiario
Odiario

Aumento dos impostos e agravamento da injustiça fiscal durante o governo PS

Eugénio Rosa    02.Jul.20

Entre 2015, último ano de governo PSD/CDS, e 2020 (Orçamento suplementar) os impostos directos - que são impostos tecnicamente mais justos - aumentaram apenas 161 milhões € (+1,6%), enquanto os impostos indirectos - que são impostos tecnicamente mais injustos - aumentaram no mesmo período 2.927 milhões € (+14,1%), ou seja, 18 vezes mais que o aumento registado em euros nos Impostos diretos. Em termos técnicos é-se obrigado a concluir que a injustiça fiscal aumentou em Portugal com o governo PS. E isto depois de ter aumentado enormemente com o governo PSD/CDS.

Odiario
Odiario

O velho e o novo*

Gustavo Carneiro    01.Jul.20

«A crise consiste precisamente no facto de que o velho está a morrer e o novo ainda não pode nascer. Nesse interregno, uma grande variedade de sintomas mórbidos aparece». A afirmação de Antonio Gramsci, proferida nas primeiras décadas do século XX, ganha hoje flagrante actualidade, à medida que se aprofunda a crise do capitalismo e, com ela, (res)surgem muitos destes sintomas.

Odiario
Odiario

A cultura nos seus labirintos

Manuel Augusto Araújo    30.Jun.20

A pandemia fechou todos os palcos em que a cultura se mostra em directo, dos teatros às galerias de exposições, dos museus aos cinemas. E os tempos vazios da vida em confinamento foram invadidos por uma oferta digitalizada com um volume insuspeitado, em que se despejaram em streaming conteúdos e formatos como se não houvesse amanhã.

Odiario
Odiario

Na Grande Guerra Pátria, a música – guerreira da paz

Manuel Pires da Rocha    29.Jun.20


Passou há poucos dias o 75º aniversário da parada que celebrou em Moscovo a vitória soviética na Grande Guerra Pátria. É oportuno recordar o lugar desempenhado pela cultura artística nessa heroica acção colectiva: a música, aqui referida, mas igualmente todas as outras artes. Recordar e homenagear os artistas fisicamente presentes enquanto tal na frente de combate, muitos dos quais aí morreram, como sucedeu com cerca de 400 escritores. Um exemplo para todos os que, nos dias de hoje, se interroguem acerca do lugar da cultura na luta dos povos.

Odiario
Odiario

Guerra mais sanções mais Covid-19 é igual a genocídio na Síria

José Goulão    27.Jun.20

A criminosa ofensiva EUA/NATO contra a Síria sofreu uma importante derrota militar. Avança agora com raivosas e mais violentas sanções e ataques contra colheitas visando condenar à fome e à doença quem tenha sobrevivido à guerra e ao terrorismo. Chama-se a isso genocídio, e os criminosos têm nome. Entre eles está o Conselho Europeu, que representa os governos dos países que integram a UE, incluindo Portugal.

Odiario
Odiario

«Solidariedade» e «inimigo externo»

João Ferreira    26.Jun.20

João FerreiraA forma como a UE dos monopólios vem lidando com a pandemia e com o que virá a seguir é inteiramente elucidativa do que dali há a esperar: defesa dos interesses das potências centrais à custa de uma ainda maior vulnerabilização de países periféricos (sejam eles maiores ou menores). É isso a “solidariedade” UE. E também um ainda maior alinhamento com o imperialismo EUA e a NATO.

Odiario
Odiario

O orçamento suplementar para 2020 nem promove o crescimento económico e o emprego nem reforça o Serviço Nacional de Saúde

Eugénio Rosa    22.Jun.20

Diz o governo que este Orçamento suplementar é um orçamento de fortalecimento do SNS e de recuperação da economia, e que não é um orçamento de austeridade. A realidade desmente essa afirmação. A redução de receitas é à conta da quebra do IRC. Para os trabalhadores a austeridade fiscal continua apesar de uma quebra brutal nos rendimentos do trabalho. O acréscimo no investimento público é insignificante, e uma parcela dele será cativado (João Leão é especialista nisso). A despesa prevista para um SNS extremamente enfraquecido não permite a recuperação do enorme número de cirurgias, consultas, exames que se deixaram de se fazer porque os meios (profissionais e equipamentos) que dispunha o SNS já eram insuficientes, tendo sido mobilizados para enfrentar a crise de saúde pública causada pelo COVID 19, e parte deles ainda se encontram mobilizados para esse fim.

Odiario
Odiario