Autor: “ Filipe Diniz ”

Odiario

Grécia 1967

Filipe Diniz    29.Ago.17    Colaboradores

A ligação umbilical dos EUA aos golpes de Estado um pouco por todo o mundo tem sempre dois objetivos irmanados: impor uma maior exploração dos povos e dos seus países, e perseguir os comunistas.

Odiario
Odiario

Uma semana de opiniões

Filipe Diniz    18.Ago.17    Colaboradores

Numa era em que o parajornalismo (ver o diário.info de 14 de agosto passado) se acotovela com o paramilitarismo para ver qual destas especialidades de terrorismo ganha mais indulgências do capital monopolista, e em que se tornou norma «…os factos objetivos te(m)rem menos influência na formação de opinião publica do que os apelos emocionais…» (da definição de pós-verdade segundo o dicionário de Oxford introdução em 2016), quem se pode espantar que o Le Monde em França ou o Público e o Diário de Notícias em Portugal, tenham tiragens idênticas às da imprensa clandestina nos seus países há 70 ou 80 anos?
Talvez tenham mais do que merecem…

Odiario
Odiario

Capital fictício, cidade fictícia*

Filipe Diniz    13.Ago.17    Colaboradores

A actual crise geral do capitalismo tem como uma das suas componentes o colapso de diversas bolhas imobiliárias e da engrenagem do crédito hipotecário a elas associado. O capital financeiro encontrara nesse sistema formas de exponenciar lucros a taxas muito superiores às possíveis na economia real. Economia especulativa, espaço privilegiado de circulação de capital fictício, converte os lugares materiais em que toca a habitação e a cidade em simulacros igualmente à beira do colapso.

Odiario
Odiario

Um ministro invisível*

Filipe Diniz    09.Abr.17    Colaboradores

Se os que vivem do seu trabalho ou da sua pensão são as primeiras vítimas das políticas “de austeridade”, ao indigente sector da Cultura tem cabido o segundo lugar. O governo do PS devolveu à Cultura o estatuto de ministério. Mas os meios de que este ministério dispõe (orçamentais, humanos, técnicos) mantiveram-se ao nível da anterior secretaria de Estado. E nas políticas seguidas as diferenças são igualmente difíceis de encontrar.

Odiario
Odiario

Descubra as diferenças*

Filipe Diniz    02.Abr.17    Colaboradores

Já foi amplamente feita a comparação entre os termos da cobertura mediática internacional às acções de guerra em Alepo, na Síria, e em Mossul, no Iraque. São um exemplo antológico de dualidade e manipulação. Mas não só os grandes media que assim se comportam. Uma ONG de projecção mundial que se reclama de independente não foge à mesma cartilha.

Odiario
Odiario

Revolução*

Filipe Diniz    15.Feb.17    Colaboradores

A URSS já não existe. Mas esse facto não impede que o centenário da Revolução de Outubro cause um profundo mal-estar aos reaccionários de todos os matizes. Têm razão. Se a Comuna de Paris foi o primeiro «assalto aos céus», a Revolução de Outubro foi o segundo, e outros se lhe seguiram e seguirão. Tardará ainda, mas há-de chegar o dia em os céus sejam definitivamente conquistados.

Odiario
Odiario

A “concertação social”*

Filipe Diniz    05.Feb.17    Colaboradores

O chumbo na Assembleia da República da redução da TSU – um brinde do governo ao patronato - foi uma grande notícia para os trabalhadores. E quem barafustou mais alto contra esse chumbo foi a UGT. Não é de admirar: onde a central amarela se sente à vontade é a entender-se com governos e patrões na “concertação social”.

Odiario