Autor: “Anabela Fino”

Odiario

Confidencial

Anabela Fino    21.Jul.21    Outros autores

A ProPublica, uma organização de jornalistas sem fins lucrativos que acedeu às declarações financeiras dos milionários nos EUA, revelou que os ricaços norte-americanos pagam poucos ou nenhum impostos. A Casa Branca preocupou-se mais com a fuga de informação do que com a substância dos factos, e vai investigar… os jornalistas. A “democrata” administração de Biden, ao invés de se preocupar com a (in)justiça fiscal, persegue quem a desnuda. Percebe-se. O segredo, a par da hipocrisia é a alma do negócio.

Odiario
Odiario

(Des)Protegidos

Anabela Fino    08.Jul.21    Outros autores

«Como explicar que após dias e dias de massacre mediático a propósito da partilha de dados levada a cabo – mal – pela Câmara de Lisboa, nem uma voz das que dizem prezar os direitos dos cidadãos tenha proferido um pio que fosse contra o Registo de Identificação dos Passageiros, (Passenger Name Record, PNR, na designação inglesa) já em vigor nos países da União Europeia?»

Odiario
Odiario

Kill the bill

Anabela Fino    09.Abr.21    Outros autores

Na Grã-Bretanha está em curso a aprovação final de legislação cujo conteúdo é o de um Estado policial. Com ela, as autoridades terão praticamente carta branca na repressão, não do crime, mas de qualquer acção pública de protesto. Vem na embalagem de um confinamento que banalizou o policiamento de toda a vida quotidiana, que veda a rua aos vulgares humanos, que limita e anula direitos e liberdades. Não é só na Grã-Bretanha que tal se verifica, e o alerta vem tão a propósito ali, como em França, como provavelmente em Portugal.

Odiario
Odiario

Roleta*

Anabela Fino    15.Mar.21    Outros autores

Num episódio que diz muito sobre a tacanhez política que move as instituições da UE, a presidente da Agência Europeia do Medicamento veio dizer que a utilização da vacina Sputnik-V era “comparável à roleta russa”. Não só a própria Agência tem a vacina em processo de avaliação como vários países da UE se têm voltado para essa solução, além do mais dado o fracasso do processo congeminado pela Comissão Europeia. A desorientação de Bruxelas está à altura da sua total incompetência.

Odiario
Odiario

Votos*

Anabela Fino    27.Feb.21    Outros autores

A comissão parlamentar de Defesa na AR, maioritariamente composta por deputados do PS e do PSD, decidiu apresentar um voto de pesar pela morte de Marcelino da Mata, o militar mais condecorado de sempre do fascismo. Aprovado com votos do PS, PSD, CDS, Chega e Iniciativa Liberal, o voto de pesar foi uma espécie de cereja em cima do bolo após o funeral com a presença do Presidente da República e dos Chefes do Estado Maior das Forças Armadas e do Exército. O que é de questionar é qual o motivo que leva deputados socialistas, quase meio século depois do 25 de Abril e em pleno ascenso da extrema-direita por toda a Europa, a distinguir um símbolo da política de opressão e guerra da ditadura fascista.

Odiario
Odiario

Perguntas*

Anabela Fino    09.Nov.20    Outros autores

Confirmada a derrota de Trump, justificar-se-ão os festejos pela saída de cena (ao que parece, muito renitente) desta grotesca figura. Mas é manifestamente exagerado o foguetório sobre uma “vitória da democracia”. O que figura nos EUA tem muito pouco de sistema democrático. E isso não tem apenas a ver – como aconteceu com Trump – com alguém ser eleito tendo menos votos que o adversário directo. Tem a ver com as centenas de milhares de eleitores “inconvenientes” que são apagados dos cadernos eleitorais, com a engenharia da distorção dos círculos eleitorais, com um sistema em que é preciso ser multimilionário para ser candidato. Quem prospera em tal quadro não é a democracia, é a extrema-direita.

Odiario
Odiario

De tanga*

Anabela Fino    27.Oct.20    Outros autores

Está em curso uma campanha concertada para fazer chegar ainda mais dinheiros públicos ao negócio privado da saúde. Desde autarcas a ex. bastonários da Ordem dos Médicos, passando pelos grandes media, há um verdadeiro fogo de barragem: “o SNS não dá conta, é preciso ir pedir (e pagar) a ajuda dos privados”. Dos mesmos privados que se recusaram a participar na primeira vaga da pandemia. E a campanha tem o alto patrocínio do PR, desta vez de tronco nu.

Odiario