Autor: “Anita Leocadia Prestes*”

Odiario

As posições revisionistas (oportunistas) do Marxismo, o reformismo burguês e a situação no Brasil de Hoje

Anita Leocadia Prestes*    14.Oct.15    Destaques

O legado de Luiz Carlos Prestes, ao apontar para a necessidade de considerar possíveis formas de transição ou de aproximação ao poder revolucionário, que venha a abrir caminho para a revolução socialista, constitui uma contribuição valiosa para as forças de esquerda que hoje estão empenhadas na luta por transformações profundas da sociedade brasileira, na luta por mudanças que não sirvam aos desígnios dos políticos das classes dominantes, interessados em que “tudo mude para que tudo permaneça como está”.

Odiario
Odiario

É possível no Brasil de hoje, a partir das condições atuais, avançar rumo ao socialismo?

Os trinta anos decorridos após a transição pactuada da ditadura militar para um regime de democracia restrita não possibilitaram a superação da regressão havida nos 21 anos anteriores no que se refere à criação das condições subjetivas para a revolução no Brasil. Percebemos a ausência de lideranças revolucionárias e de partidos políticos enraizados nos sectores populares e habilitados a conduzir amplas massas rumo a transformações profundas da sociedade brasileira. Entre as forças consideradas de esquerda imperam o voluntarismo ou o reformismo.

Odiario
Odiario

Algumas considerações sobre as posições revisionistas (oportunistas) do Marxismo no Brasil de hoje

Diante da actuação oportunista (revisionista do marxismo), dirigida no sentido de reformar o capitalismo em vez de liquidá-lo, diante da falsificação da história das lutas e da memória das lideranças revolucionárias do passado com o objectivo de justificar tal política reformista, o legado de Luiz Carlos Prestes adquire indiscutível actualidade.

Odiario
Odiario

O PCB e o golpe civil-militar 31/3/1964: Por que as esquerdas foram derrotadas?

A derrota das esquerdas em 1964 traz ensinamentos que continuam válidos na actualidade: o caminho da revolução, cuja estratégia hoje deve ser socialista, passa pela construção do bloco histórico contra-hegemónico, que represente a unidade de amplas forças sociais e políticas em torno de um projecto revolucionário condizente com a realidade actual do Brasil.

Odiario