Autor: “Eric Toussaint”

Odiario

Grécia: Simbolo da dívida ilegítima

Eric Toussaint*    31.Ene.11    Outros autores

Eric ToussaintNão é referindo-se a Portugal, embora o pareça, mas sobre a Grécia que Eric Toussaint nos diz que “A engrenagem do endividamento público foi bem oleada pelos subornos das companhias transnacionais, num esforço para obter suculentos contratos: a Siemens é um caso emblemático.
Tudo isso faz com que seja necessário examinar rigorosamente a legitimidade e a legalidade das diversas dívidas, de acordo com o método realizado no Equador, em 2007-2008, pela comissão de auditoria integral das dívidas públicas. As dívidas que se qualificarem como ilegítimas, odiosas ou ilegais, deverão ser declaradas nulas.”

Odiario
Odiario

Terceiro Mundo: Até uma nova década negra?

Eric Toussaint*    15.Oct.08    Outros autores

 Eric Toussaint“Em consequência da crise desencadeada nos países mais industrializados endureceram as condições dos empréstimos para os países em desenvolvimento. As importantes reservas de câmbio que tinham acumulado nestes últimos anos amortizarão os efeitos desse endurecimento, mas não há dúvida que não serão suficientes para os proteger completamente”

Odiario
Odiario

Um olhar sobre as causas da crise alimentar mundial

Alimentos
Os responsáveis pela subida desmedida dos preços dos alimentos procuram criar a ideia de que isso é devido a uma escassa produção e à crescente procura por maior consumo da China e da Índia. E assim, procuram esconder a responsabilidade dos governos com o subsídio à produção de agro-combustíveis e a acção dos especuladores internacionais a que não querem resistir

Odiario
Odiario

O Banco Mundial descobre, subitamente, mais 400 milhões de pobres

Eric Toussaint
O Banco Mundial, que a par do FMI constituem as principais instrumentos internacionais do imperialismo para o saque dos países não desenvolvidos, confirma nos seus documentos as acusações que há muito lhe são feitas

Odiario
Odiario

O Pecado triplo da grande banca privada

Por mais que os governantes procurem esconder a crise ela está aí: “Desde Agosto de 2007, os bancos estadunidenses e europeus estão debaixo dos holofotes da actualidade pela grave crise que atravessam, e que fazem atravessar, em bloco, todo o sistema neoliberal. O montante actual da desvalorização de activos que já se viram obrigados a fazer supera os 200.000 milhões de dólares. Diversos grupos de estudos de bancos e economistas de mérito reconhecido consideram que a factura superará o bilião de dólares”

Odiario
Odiario

Conjuntura internacional e endividamento - Os novos desafios

Eric Toussaint*    06.Mar.08    Outros autores

Eric ToussaintÉ urgente “a construção de uma nova arquitectura institucional internacional que leve a uma profunda reforma democrática do sistema das Nações Unidas e à substituição do Banco Mundial e do FMI por instituições democráticas. A construção desta nova arquitectura passará pela criação e reforço de mecanismos de integração regional Sul-Sul, pela criação de um ou de vários bancos do Sul que deverão coordenar os seus esforços, pela instauração de mecanismos de intercâmbio compensados (Ver o tipo de intercâmbios entre a Bolívia, a Venezuela e Cuba especialmente no domínio dos hidrocarbonetos, a transferência de tecnologia, a saúde e a educação) e solidários entre os países em desenvolvimento. Estes mecanismos já estão apresentando resultados muito interessantes principalmente na América Latina e no Caribe: melhoria da saúde, da segurança energética (Petrocaribe por exemplo), da educação e da informação (desenvolvimento da Telesur).

Odiario
Odiario

Conjuntura internacional e endividamento - Os novos desafios

Eric Toussaint*    04.Feb.08    Outros autores

É urgente “a construção de uma nova arquitectura institucional internacional que leve a uma profunda reforma democrática do sistema das Nações Unidas e à substituição do Banco Mundial e do FMI por instituições democráticas. A construção desta nova arquitectura passará pela criação e reforço de mecanismos de integração regional Sul-Sul, pela criação de um ou de vários bancos do Sul que deverão coordenar os seus esforços, pela instauração de mecanismos de intercâmbio compensados (Ver o tipo de intercâmbios entre a Bolívia, a Venezuela e Cuba especialmente no domínio dos hidrocarbonetos, a transferência de tecnologia, a saúde e a educação) e solidários entre os países em desenvolvimento. Estes mecanismos já estão apresentando resultados muito interessantes principalmente na América Latina e no Caribe: melhoria da saúde, da segurança energética (Petrocaribe por exemplo), da educação e da informação (desenvolvimento da Telesur).

Odiario