Autor: “Silvestre Lacerda”

Odiario

Para que nos servem os arquivos?

Silvestre Lacerda    01.Oct.16    Outros autores

A exposição “Regresso das Bandeiras” contribuiu para manter viva a memória colectiva das gentes do Barreiro. Uma memória forte e que por isso mesmo resiste aos branqueamentos que lhe querem fazer. A memória, apesar da sua razão de ser reforçar a ideia de continuidade com o passado, vive constantemente refazendo o seu próprio passado e funciona segundo um processo combinatório de imagens passadas baseado na persistência e na mudança incessante. A continuidade histórica reside precisamente na reorganização constante dessas imagens do passado associada à investigação e conhecimento do passado e à preservação e salvaguarda dos arquivos.
A memória colectiva torna-se necessária como construção ideológica para dar um sentido de identidade ao grupo, à comunidade, à nação. Para dar sentido de futuro ao longo historial de resistência e luta da classe operária.

Odiario