Mobilização mundial pelo fim do bloqueio contra Cuba

AbrilAbril    30.Mar.21    Outros autores

Angola, Canadá, Brasil, França, Suécia, Rússia, Irlanda e Portugal são alguns dos 60 países onde este fim-de-semana decorreram iniciativas pelo fim do criminoso bloqueio dos EUA contra Cuba. A “ilha heroica” justifica e merece toda a solidariedade dos povos. Não só pela sua exemplar resistência anti-imperialista de mais de seis décadas e pela sua incomparável solidariedade internacionalista, mas por confirmar que um povo, unido numa generosa e militante perspectiva de transformação e progresso em todas as esferas da vida social, pode fazer frente aos mais poderosos inimigos.

Inúmeras personalidades e organizações políticas e de solidariedade de vários pontos do planeta protagonizaram este sábado e domingo um amplo programa de apoio à maior ilha das Antilhas, numa iniciativa denominada «Pontes de Amor».

A caravana mundial a exigir o fim do embargo económico, comercial e financeiro imposto pelos EUA a Cuba nasceu há cerca de nove meses em Miami. Desde então, tem-se realizado no último domingo de cada mês e vem somando cada vez mais participantes. Recorde-se que, também em 2020, o aumento das sanções contra Cuba levou mais de 130 organizações progressistas nos EUA a juntarem-se para defender o levantamento do embargo.

As acções deste fim-de-semana arrancaram em países como a França, Rússia, Suécia, Suíça, Irlanda, Angola e Namíbia, repartidas entre concentrações, marchas, caravanas automóveis e de bicicletas, e outras iniciativas solidárias com o fim de alertar a população mundial para os impactos causados na economia cubana por cerca de 60 anos de um criminoso bloqueio.

Em Portugal, a Associação de Amizade Portugal-Cuba apresentou uma moção de repúdio pelo «ignóbil» embargo, assumindo o compromisso de continuar a lutar contra ele e manifestando a sua solidariedade para com o povo cubano e a sua Revolução, que no passado mês de Janeiro cumpriu 62 anos.

Através da sua conta no Twitter, o presidente da República de Cuba, Miguel Díaz-Canel, agradeceu o apoio dos compatriotas na diáspora e dos amigos de diferentes nacionalidades, salientando que estavam ligados na «luta pela justiça».

A poucos dias de abandonar a presidência dos EUA, a administração de Donald Trump endureceu as sanções contra o governo cubano, ao voltar a incluir Cuba na lista de países considerados apoiantes do terrorismo.

Não obstante as dificuldades impostas pelo bloqueio norte-americano, Cuba tem-se destacado pelos avanços científicos e pela solidariedade. No âmbito da luta contra o novo coronavírus, já enviou mais de 3700 profissionais de saúde para 35 países.


Fonte: https://www.abrilabril.pt/internacional/mobilizacao-mundial-pelo-fim-do-bloqueio-contra-cuba

Gostaste do que leste?

Divulga o endereço deste texto e o de odiario.info entre os teus amigos e conhecidos